Junto a alunos formados, Band visita a FAU

Alunos da 3.a série do Ensino Médio do curso de Linguagem Arquitetônica (LA) do Band fizeram uma visita à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), monitorada por alunos do Band formados em 2015 e que atualmente estudam na FAU.

la1

“Os alunos puderam vivenciar o espaço interno da FAU. A biblioteca, as salas de aula, os estúdios e os outros espaços que constituem a área interna da edificação”, contou o professor de LA, Ivan Stancati.

la3

Esta integração entre alunos que estão no Band e os já formados representa uma oportunidade para os que ainda estão na escola tirarem suas dúvidas, e sentirem a carreira e o futuro que os espera dentro do espaço de uma faculdade. “Foi motivador porque eles passaram pelas mesmas situações que a gente. Pensei que se eles conseguiram, eu também posso”, comentou o aluno da 3.a série do Ensino Médio, Pedro Russo.

la2

“O conceito do prédio da FAU é o de um edifício sem portas, que abrigava então uma proposta nova de ensino de Arquitetura e Urbanismo na USP. É uma ‘escola aberta’ que não restringe o acesso de pessoas e nem de ideias”, contou Guilherme Lacks, formado em 2015 no Band, sobre a estrutura da faculdade.

la4

“Esta integração entre a FAU e o Band foi de grande proveito. É muito bom este diálogo com gerações mais próximas uma da outra, de aluno para aluno. É uma parceria mais esclarecedora, onde eles se veem melhor e, assim, suas escolhas dentro da área se tornam mais claras”, concluiu Ivan.

Aprendizado em visita à Casa Cor

Os alunos do curso de LA, Linguagem Arquitetônica, fizeram uma visita à Casa Cor, espaço dedicado a mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo. Acompanhados pelo professor Ivan Stancati, os estudantes puderam vivenciar os espaços criados por vários profissionais na área da arquitetura de interiores.

casacor1

Logo na entrada, os alunos foram surpreendidos pelo Jardim e Entrada da Luxúria, onde nas paredes da entrada encontrava-se a frase “É proibido fazer selfie”. A mensagem era uma provocação ao visitante em relação ao comportamento de sempre tirar uma foto de si. O Jardim é composto por três elementos: espelhos, piso de tábua corrida e pintura verde- hortaliça. “A principal referência é o nosso comportamento na era digital”, constatou o autor do espaço, José Marton.

casacor2

Os alunos também conferiram o “Espaço dos Convidados”, projeto da arquiteta Denise Barretto, que também projetou as oficinas makers do Band e o “Espaço 268”. O lugar apresentava fachada com estilo modernista e contemporâneo, privilegiando o conforto e aconchego.

casacor3

A arquiteta explicou aos alunos que o conceito do seu projeto era integrar a área externa com uma pequena praça. A combinação da cor cinza com o caramelo, se faz presente, quebrando tons de argila, com painéis e mobiliários sofisticados na cor cinza.

“Os alunos ficaram encantados com o ’Espaço dos Convidados’, esta vivência com a Arquitetura de Interiores, é muito importante para a visualização da concretização de um projeto de Arquitetura, além de fortalecer na escolha da área profissional que o aluno quer atuar”, afirmou o professor Ivan.

Os alunos também fizeram uma caminhada pelo Jardim Deca, do paisagista Alex Hanazaki, onde foram surpreendidos pela imaginação do profissional que transformou cubas em fontes. A proposta era dar um novo significado para os produtos da marca Deca, como aconteceu com as bacias sanitárias que foram transformadas em esculturas.

“O projeto desta praça com espelhos d’agua, fontes de cubas e cascatas de chuveiros, criou um espaço zen, onde o equilíbrio entre a natureza e os equipamentos da Deca, se integram ao espaço, respeitando a sustentabilidade”, concluiu o aluno, Pedro Russo da 3.a série do Ensino Médio.

Alunos visitam escritório de arquitetura de Ricardo Julião.

A turma do curso de Linguagem Arquitetônica teve a oportunidade de visitar o escritório do arquiteto formado pelo Band, Ricardo Julião. Lá, os alunos conferiram projetos realizados pelo arquiteto e, assim, sentiram como é a realidade da profissão.

ivan1

“A vivência dos alunos fora da sala de aula, com o trabalho de Arquitetura em um escritório de grande porte, é essencial para a escolha da profissão”, acredita o professor de Linguagem Arquitetônica, Ivan Stancati.

Na visita, Ricardo Julião mostrou alguns de seus projetos para os alunos como uma forma de inspira-los, mas também para evidenciar um pouco da realidade de todo o trabalho que há por trás de prédios e construções. Um deles foi a construção do Novo Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios, no Centro de São Paulo, que teve todo o seu acervo de quadros, esculturas, móveis antigos e réplicas em gesso, destruídos por um incêndio. No projeto, o arquiteto aplicou um conceito contemporâneo para o espaço que conservará os elementos construtivos da época.

ivan2

Para a aluna Ga Eun Kim, da 3.a série do Ensino Médio, foi uma boa oportunidade de conhecer a realidade da careira e, assim, se planejar melhor para o futuro. “Eu nunca havia conversado com um profissional desse porte. Sinto que a visita me ajudou muito a esclarecer como a profissão funciona na prática” contou a aluna.

“A aplicação do conhecimento de Arquitetura possui um grande leque de possibilidades: projetar espaços para diferentes usos, desenhar edifícios, reconstruir o que foi destruído, criar espaços em diferentes escalas, coletar informações e associá-las ao conceito do projeto. A Arquitetura resgata os valores culturais de uma época, pelos seus edifícios, espaços, objetos” contou Ricardo Julião.

“Pude ver que Arquitetura não é só uma questão de desenhar prédios e casas, a profissão compreende uma complexidade muito maior. Além disso, também conhecemos mais a realidade em relação aos salários e as inúmeras possibilidades que podemos ter na área”, contou a aluna Verônica Diaz.

Band recebe filha de Vilanova Artigas e exibe filme

O Band recebeu a filha do importante arquiteto Vilanova Artigas, Rosa Artigas, para uma exibição do documentário Vilanova Artigas: O arquiteto e a luz e um debate sobre o filme e a vida do profissional. A atividade foi organizada pelo professor do curso de Linguagem Arquitetônica, Ivan Stancati, e oferecida a todos os alunos interessados do Ensino Médio.

Professor Ivan com a Rosa Artigas

Professor Ivan com a Rosa Artigas

O documentário abordou a trajetória do arquiteto que figura entre os maiores nomes da arquitetura do Brasil, junto a Oscar Niemeyer, Lúcio Costa, Lina Bo Bardi e Paulo Mendes da Rocha e que foi responsável pelos projetos do Estádio do Morumbi e da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP.

IMG_2708

Segundo Ivan, a arquitetura de Artigas é prova de que a poesia também se faz com concreto, aço, tijolo e vidro, e de que além de pilares e vigas, a estrutura de uma edificação não pode deixar o papel da Arquitetura nas relações humanas e na paisagem urbana.

IMG_2715

Após a exibição do filme, Rosa Artigas respondeu as perguntas feitas pelos alunos do Band. Dentre suas falas, ela contou sobre o estilo de Arquitetura que identificava a obra do pai e explicou que Vilanova Artigas, em sua forma de projetar e construir, faz largo uso do concreto armado e do vidro, inspirado na obra de Le Corbusier, incorporando materiais industriais crus, sem revestimento.

IMG_2742“Em suas mais de 700 obras concluídas, Artigas deu uma visão social para a Arquitetura. Além da questão estética e da técnica que envolvem seu trabalho, ele ensinou a enxergar a Arquitetura como a expressão de uma época, com a abertura para uma sociedade mais igualitária e mais justa”, declarou o professor Ivan.

Em contato com a Arquitetura

Todo ano, a turma de Linguagem Arquitetônica, curso preparatório para quem pretende cursar Arquitetura, Design e Urbanismo, faz uma visita ao escritório do arquiteto Ricardo Julião. Em 2015 não foi diferente, o grupo foi acompanhado pelo mentor do curso, Ivan Stancati.

Prof. Ivan e Ricardo Julião

Prof. Ivan e Ricardo Julião

Ricardo Julião foi aluno do Band e abre o seu espaço de trabalho para os alunos interessados na carreira de Arquitetura vivenciarem o seu escritório, que possui um grande repertório de projetos famosos, muitos reconhecidos internacionalmente.

Imagem2

O arquiteto conversou com os alunos durante horas, com foco maior nos valores como: a inquietação criativa, a paixão pelo que se faz, a arquitetura atemporal e a obsessão pelo cliente. Deixou claro que o profissional da área deve ter “inquietação criativa” para procurar soluções que sejam melhores para a relação do homem com a sua habitação.

Imagem4

Segundo ele, a Arquitetura deve ser atemporal, ou seja, nada mais é do que algo que transita no tempo sem necessariamente pertencer ao passado, futuro ou presente. É aquilo que permanece válido no tempo, independente de circunstâncias e tendências momentâneas. Também é preciso ter “obsessão pelo cliente”, que seria conhecer o cliente, o que ele gosta, quantos filhos têm, seus sonhos, seu trabalho e seus objetivos para realizar um bom projeto.

Imagem5

Ricardo deixou espaço aberto para os alunos questionarem sobre o mercado de trabalho, quanto um estagiário ganha, um arquiteto formado, até um coordenador de área. Ele também falou da importância do conhecimento que o arquiteto deve ter em relação aos projetos complementares como elétrica, hidráulica, ar condicionado, concreto armado, fundações e outros.

O arquiteto ficou muito contente pela quantidade de alunos que optaram pela Arquitetura este ano e falou que é possível mudar a cidade mesmo estando nas mãos das incorporadoras. Ele ainda completou que a boa arquitetura pode se espalhar muito mais que apenas como um ofício, mas como uma paixão.

Para finalizar a visita, os alunos puderam ver os trabalhos de Julião através dos anos e analisar seu legado arquitetônico baseado no rigor do desenho e na solução de problemas, segundo a exploração justa da construção e o processo de criatividade. Sendo estes os traços mais determinantes das suas formas, que conseguem conciliar na Arquitetura, razão e paixão.

Arquiteto realiza palestra para alunos

O arquiteto e urbanista Sérgio Sandler, formado no Band em 1974, realizou uma palestra para alunos do Ensino Médio interessados em seguir na área, com o apoio do coordenador Roberto Nasser e do professor de Linguagem Arquitetônica, Ivan Stancati. O palestrante é um dos fundadores da Escola da Cidade, que oferece graduação em Arquitetura em Urbanismo desde 2002.

palestra_eng_1

palestra com o arquiteto Sérgio Sandler

Diversos temas relevantes para a formação de um arquiteto foram abordados durante a apresentação, como a importância do urbanismo dentro da construção da arquitetura de uma cidade. Também foi tratada a questão do aumento da densidade demográfica no centro de uma metrópole, onde existe oferta de trabalho e infra estrutura, o que promove o deslocamento da população carente e periférica para este núcleo, gerando problemas habitacionais no uso e ocupação deste espaço.

palestra_eng_2

Além disso, o problema do transporte também foi ressaltado na palestra. Como grande parte da população periférica tem que se deslocar aos centros urbanos para trabalhar, o trânsito acaba ficando caótico e com grandes horários de pico de lentidão. Segundo Sérgio, é papel do urbanista planejar devidamente os bairros mais afastados para diminuir estes problemas apresentados.

Ainda foram discutidas dúvidas de opção de escolha de carreira com os alunos, como “Arquitetura ou Engenharia?”, “Arquitetura ou Design?” e “Dupla graduação Arquitetura e Engenharia?” Para o coordenador de História e Orientação Profissional, Roberto Nasser, a importância da palestra está no compartilhamento de conhecimento do bandeirantino formado com os atuais estudantes. “É importante a volta dos antigos alunos para abrir caminhos para os novos alunos”, contou.

Trabalhos de alunos

Trabalhos dos alunos de LA do Band

Prova específica da carreira de Arquitetura e Design

A prova específica da carreira de Arquitetura e Design, denominada Linguagem Arquitetônica é composta por três partes. Uma é dedicada a Geometria e Funções, matéria fundamental para o entendimento e representação do espaço. As outras duas avaliam o potencial de raciocínio espacial e são denominadas Linguagem Bidimensional e Tridimensional.

foto 2

Essas provas serão realizadas em dois dias, nos estúdios da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU-USP), situada na rua do Lago, 876, Cidade Universitária, São Paulo, de acordo com o calendário proposto.

Primeiro dia, período da manhã, prova de Geometria e Funções (20 pontos),
horário das 8h00 às 12h00. Primeiro dia, período da tarde, prova de Linguagem Bidimensional (2D) (40 pontos), horário das 14h00 às 18h00. Segundo dia, período da manhã, prova de Linguagem Tridimensional (3D) (40 pontos), horário das 8h00 às 12h00.

foto 1

Essas provas valerão, no seu conjunto 100 pontos, e terão peso 2. O material para a execução dos trabalhos será fornecido no local das provas.Os candidatos deverão trazer o seguinte material de desenho para tratamento em preto e branco ou cores: grafite, lápis de cor e/ou cera (no mínimo 12 cores): não será permitido o uso de qualquer outro material de desenho.

foto 4

Os candidatos também deverão trazer os seguintes instrumentos: esquadros (45º e 30/60º), compasso, régua mliimetrada (30 cm no mínimo), opcionalmente régua “T”ou paralela, instrumento para apontar lápis, estilete e/ ou tesoura, cartão para proteção da prancheta, no caso de uso de estilete (20×30 cm no mínimo), borracha, fita adesiva, cola (branca e /ou de isopor e/ou similares, araldite): não será permitido o uso de colas de contato e de “spray”.

foto 3

Prova de Geometria e Funções – Desenho a partir de um mural desenhado por Burle Marx

FUVEST 2014 – Arquitetura FAU e Design

A partir da foto abaixo de um detalhe do mural que está no Hospital Souza Aguiar no Rio de Janeiro, desenhado por Burle Marx.

foto

Você deverá desenhá-lo na folha de respostas na razão de dois para um (em relação à foto), seguindo as instruções a seguir:

  1. Desenhe apenas os contornos das figuras que compõem o mural (não desenhe as pedras).
  2. Respeite as proporções entre as dimensões dessas figuras.
  3. Nas partes em que há concordância de segmentos com circunferências, ou entre circunferências, indique os seus centros e os pontos de tangência (concordância).

Importante

Na realizacão da questão, mantenha todas as linhas de construção visíveis(elas são importantes no processo de avaliação).